Homepage
Spiritus Site
Início A Fundação Contactos Mapa do Site
Introdução
Meditação
Orações
Agenda
Notícias
Loja
Directório
Pesquisa
Marco Histórico §
Guia de Sânscrito
NEW: English Texts
Religião e Filosofia
Saúde
Literatura Espiritual
Meditação
Arte
Vários temas
Mosteiro Budista
Neste espaço especialmente dedicado à Meditação, sua prática e métodos, constará de um guia ao qual damos o nome de Curso, baseado no trabalho que realizámos nos últimos anos ensinando a Meditação. Está dividido em nove lições, nas quais será explicado através de esquemas e de imagens o lado prático, como também acompanhar com profundidade, a teoria filosófica que envolve a Meditação pela vivência de um percurso interior.

pág. 1 de 2
Curso de Meditação - 5ª Lição

de Maria Ferreira da Silva

em 04 Set 2006

  Destruir os obstáculos, que são os próprios pensamentos, através da tomada de consciência na observação da mente, é como o desfolhar de uma rosa em que uma a uma, as pétalas se desprendem e finalmente desaparece a rosa. O que fica? Nada! Assim fica a mente vazia, cristalina.

A Prática

Antaranga Sādhana - Busca interior da Alma.

O 5º Passo do Yoga (§) é Pratyāhāra – significa, atingir um estado em que os sentidos não são os que dominam mas os que são dominados. Controlo dos sentidos.

Pratyāhāra é designado, geralmente, como o conteúdo total da mente que ocupa o campo de consciência de determinado momento. Também significa, a retirada da mente para dentro de si mesma. Em Pratyāhāra, a sua prática consiste em desligar a mente dos órgãos sensoriais e conter-se a si mesma reduzindo as impressões e perturbações do mundo externo. É a capacidade de focalizar a mente e mantê-la dentro dos limites do objecto de Meditação.

Pratyāhāra é o resultado da prática progressiva de Dhāraṇa, Dhyāna e Samādhi. Respectivamente: Concentração, Meditação e União.

Dhāraṇa é portanto, a concentração da mente num ponto.

Dhyāna, Meditação é a mente absorvida no “objecto eleito”.

Samādhi, é a absorção na Mente Divina.

Na realidade é o estado mais difícil de se atingir, contudo pela prática, pela devoção e aspiração, o coração vai desabrochando e expandindo o seu amor para Deus e haverá sempre uma resposta, uma luz. A realização do Samādhi não tem tempo nem espaço nem grau de evolução, pois não se sabe o que se desenvolveu espiritualmente em vidas anteriores e que permita, nesta vida, alcançar espontaneamente esse estado: pode surgir como uma Graça.

O estado de Samādhi é um estado de Prajñā.
Em sânscrito significa, “claro entendimento” ou “clara compreensão”. Ter o verdadeiro conhecimento do “Objecto”.

Cada um elege ou selecciona a qualidade do “Objecto” ou “Objectivo” de acordo com o seu grau de entendimento e da sua educação religiosa e cultural – um cristão, elege o Cristo, um hindu elege Brahman, etc.

Quando a mente está clara (estado de prajñā) é como se ela não existisse, tal como um espelho limpo, em que a imagem é tão nítida e perfeita que não damos pelo vidro.
Os obstáculos à claridade são procedentes da qualidade da mente e dos pensamentos. Há perturbações emocionais (pensamentos mesquinhos e emoções descontroladas) que provocam bloqueio mental. Para continuar num progresso espiritual, devemos procurar curar esses males, removendo os obstáculos, que também podem vir de dúvidas e ansiedades, bem como do efeito dos ambientes, ou mesmo da alimentação.
Obstáculos são todos os conflitos internos e externos que compõem o nosso Karma, acções passadas e presentes, e influenciam o Dharma, o Dever.
Destruir os obstáculos, que são os próprios pensamentos, através da tomada de consciência na observação da mente, é como o desfolhar de uma rosa em que uma a uma, as pétalas se desprendem e finalmente desaparece a rosa. O que fica? Nada! Assim fica a mente vazia, cristalina.

O caminho espiritual é um constante superamento de si mesmo.

A dúvida, por exemplo, é um grande obstáculo. Estarei no rumo certo? Devo procurar outro método?
Outro problema é actuar de forma precipitada por querer avançar mais rapidamente, e quando isso acontece, sem a devida reflexão, acaba-se atrasando e aturdindo: é a ausência de análise. Quando aparece a dúvida e que leva à confusão, o melhor é sentar a meditar; parar a mente e ao fim de algum tempo os obstáculos desaparecem, e com a mente vazia de angústia, pode então emergir a resposta que ansiava. Pratyāhāra é o passo de Yoga importante para resolver os problemas de mente confusa, pelo controlo dos sentidos e dos sentimentos.

Só dominando as inquietações podem emergir as compreensões. A clareza sobre um assunto ou um estado de beatitude, são pequenos degraus que encorajam e dão alento para continuar e perceber que se está no caminho certo.
  (... continua) 
topo
questões ao autor sugerir imprimir pesquisa
 
 
Flor de Lótus
Copyright © 2004-2017, Fundação Maitreya ® Todos os direitos reservados.
Consulte os Termos de Utilização do Spiritus Site ®