Homepage
Spiritus Site
Início A Fundação Contactos Mapa do Site
Introdução
Meditação
Orações
Agenda
Notícias
Loja
Directório
Pesquisa
Marco Histórico §
Guia de Sânscrito
NEW: English Texts
Religião e Filosofia
Saúde
Literatura Espiritual
Meditação
Arte
Vários temas
Mosteiro Budista
Neste espaço especialmente dedicado à Meditação, sua prática e métodos, constará de um guia ao qual damos o nome de Curso, baseado no trabalho que realizámos nos últimos anos ensinando a Meditação. Está dividido em nove lições, nas quais será explicado através de esquemas e de imagens o lado prático, como também acompanhar com profundidade, a teoria filosófica que envolve a Meditação pela vivência de um percurso interior.

pág. 1 de 3
Meditação - O Caminho da Harmonia

de Maria Ferreira da Silva

em 21 Dez 2013

  Naturalmente, um dos graves problemas da maioria das pessoas e que acaba por se transformar num verdadeiro obstáculo é quererem obter da Meditação factos extraordinários, experiências transcendentes, ou seja, resultados imediatos, quando o objectivo da prática é bem diferente; é o auto-conhecimento, pois sem ele a Meditação torna-se árida ou pode transformar-se num campo de abertura a energias astrais que bloqueiam a sua prática. E então, pelo auto-conhecimento se chega ao Conhecimento e realização do Divino.

O caminho da Harmonia

Para falar de Meditação sem dúvida que terei de me basear nos sistemas filosóficos e religiosos da Índia, de cujas tradições vem esta prática. O Sāṃkhya (§), o Yoga (§), e o Vedānta onde se inclui, Kapila (§), Vaśiṣṭa, Patañjali, Śaṅkara, Aṣṭāvakra, Rāmānuja (§), e tantos outros sábios que nos legaram métodos práticos ou sistemas filosóficos e religiosos nos quais a Meditação tem um lugar preponderante. Também no Jainismo e no Budismo permanece através dos séculos a prática da Meditação.
O Jainismo, é uma das religiões filosóficas mais antiga da Índia com o culto aos Tīrthankaras, onde os seus seguidores, os mais austeros renunciantes, (śramanas), se retiram para a floresta para poderem praticar a Meditação sem os entraves dos apelos do mundo, com o objectivo de atingirem a paz e a iluminação.
Buddha (§) na sua busca encontrou os Jainas e conviveu com o seu líder espiritual, Mahāvīra (§), contemporâneos, portanto. Sendo também a prática da Meditação, a base do seu Ensinamento, foi aquilo que o Buddha preservou de todas as filosofias já existentes e, em qualquer escola ou linha budista encontra-se este requisito. Na realidade, não há praticamente nenhum sistema filosófico ou religioso na Índia que não se fundamente na Meditação, sendo naturalmente o Yoga a base de toda a prática.

Os Yoga Sūtras de Patañjali, quanto a mim, o mais extraordinário método com princípio meio e fim para o caminhar espiritual consciente, é baseado na Meditação, permitindo esta a clareza mental para observar os conteúdos da própria mente e conhecer os obstáculos, que quando confrontados podem ser removidos.
Segundo Patañjali, «Deve observar-se com consciência o funcionamento da mente e quanto mais se conhece a mente, tanto melhor o seu uso. Sem o conhecimento da mente, não se conhece as suas tendências e assim poder resolver os problemas internos». Desta forma, se desenvolve a auto-consciência, que é o maior bem que o ser humano pode ter: auto-domínio de si! A chave do desenvolvimento espiritual está em treinar a mente para interesses e valores mais elevados.

Compreende-se então, que o caminho da Meditação acaba numa necessidade (imperiosa) de investigar a verdadeira natureza da mente para o auto-domínio de si. Nenhum progresso espiritual ou mesmo humano é possível sem a disciplina da mente.
O entendimento sobre Meditação e o próprio meditar depende do grau do consciente de cada um e da intensidade do apelo interior, bem como a honestidade consigo mesmo para que a prática resulte numa constante abertura de Consciência. É esta expansão de Consciência que indica a cada um, não só o seu grau de evolução, como o progresso que se vai fazendo ao nível de atitude e de compreensão em todo o seu contexto espiritual, que abraça o psíquico e o físico (o cérebro recebe impulsos), numa verdadeira escalada rumo à sua própria harmonia e ao Divino. Ou seja: uma coisa não está dissociada da outra. A Meditação tem na realidade esse objectivo.
É este ponto importante; a ligação subtil e espiritual que pela prática da Meditação se vai obtendo, desenvolvendo no Ser a aspiração superior e vai tocando gradualmente esse Conhecimento do Divino em si mesmo e, que permite adquirir também, sucessivamente, maior segurança no Caminho. Com a Meditação ganha-se alento, coragem e consequentemente, a Harmonia.

Harmonia no viver; que se traduz na prática pela atitude e que se repercute no dia a dia, quer nos gestos, na fala, nos períodos de silêncio, nas emoções e nos sentimentos, já que se vai adquirindo também maior felicidade interior.
  (... continua) 
topo
questões ao autor sugerir imprimir pesquisa
 
 
Flor de Lótus
Copyright © 2004-2017, Fundação Maitreya ® Todos os direitos reservados.
Consulte os Termos de Utilização do Spiritus Site ®