Homepage
Spiritus Site
Início A Fundação Contactos Mapa do Site
Introdução
Sistemas Religiosos e Filosóficos
Agenda
Notícias
Loja
Directório
Pesquisa
Marco Histórico §
Guia de Sânscrito
NEW: English Texts
Religião e Filosofia
Saúde
Literatura Espiritual
Meditação
Arte
Vários temas
Mosteiro Budista
Sistemas, tem a finalidade de contribuir para a divulgação das linhas de pensamento dentro das várias Religiões e Filosofias de todo o mundo, na compreensão de que todas partilham afinal uma linguagem comum.

pág. 1 de 6
Antecedentes Históricos do Nascimento de Jesus

de Lubélia Travassos

em 11 Dez 2010

  Jesus tinha herdado do pai a doçura especial, e a compreensão compassiva pela natureza humana. No entanto, o dom de ser um grande Mestre, e a sua imensa capacidade de indignar-se pela rectidão, fora herdado da mãe. Nas reacções emocionais, durante a sua vida de adulto, relativamente ao meio ambiente, Jesus era com o pai, meditativo e adorador, que deixava transparecer alguma tristeza, mas, era mais frequente deixar-se conduzir de maneira optimista, e com a disposição determinada da mãe. Em suma, a tendência era de que o temperamento de Maria dominasse a carreira do filho divino, não só durante o seu crescimento, mas também nos passos decisivos da sua missão de adulto. Ambas as famílias de José e Maria eram bem instruídas para a sua época, visto terem sido educados acima da média, considerando a sua situação social.

No livro de Urântia, obra excepcional com mais de duas mil páginas, constituída por quatro partes ou livros, que nos revela os mistérios de Deus, do Universo, de Jesus, e da humanidade, existe um capítulo dedicado exclusivamente à “Vida e Ensinamentos de Jesus”, que está inserido no IV livro daquela obra. Nos seus anais constatamos a existência de excertos dos arquivos de Jerusalém, que dizem respeito aos antecedentes e à história inicial do nosso planeta, que nos tempos primórdios se denominava Urântia. Na IV parte do livro, além de descrever a vida e ensinamentos de Jesus, são também referidos acontecimentos que precederam ao seu nascimento. Este artigo reportar-se-á, num pequeno resumo, aos antecedentes históricos e às condições especiais que levaram ao nascimento de Jesus.

O livro começa por referir que não é, de facto, possível esclarecer as razões essenciais que levaram à escolha da Palestina como sendo a terra para a auto-outorga do Arcanjo Miguel, nem porque foi seleccionada a família de Maria e José para a vinda do Filho de Deus, em Urântia. Menciona, aliás, que, após o estudo de informações especiais sobre as condições dos mundos segregados, preparado por Melquizedeques, num conselho com Gabriel, Miguel resolveu escolher Urântia, por ser o planeta ideal para cumprir a sua auto-outorga. A partir desta decisão, Gabriel visitou pessoalmente Urântia. Como resultado do seu estudo sobre os grupos humanos, e pesquisa sobre os aspectos espirituais, intelectuais, raciais e geográficos do mundo e dos seus povos, ele chegou à conclusão de que os hebreus possuíam as características que garantiriam a sua selecção, por ser a raça preferida para a sua auto-outorga. Assim que Miguel aprovou esta decisão, Gabriel destacou, de imediato a Comissão Familiar dos Doze, seleccionada entre as personalidades mais elevadas deste Universo, e despachou-a para Urântia, encarregando-a de efectuar a tarefa da investigação sobre a família judaica. Assim que a comissão terminou os seus trabalhos, Gabriel já se encontrava em Urântia, pelo que foi de imediato informado, que havia três casais que, na opinião dessa comissão, reuniam as condições favoráveis à auto-outorga da encarnação projectada por Miguel.

Dos três casais apontados, a escolha pessoal de Gabriel recaiu sobre José e Maria, pelo que resolveu fazer logo a sua aparição a Maria, a fim de lhe comunicar as boas novas, de que ela tinha sido escolhida para ser a mãe (§) terrena do menino auto-outorgado. Joshua ben José, o pai humano de Jesus era um hebreu entre os hebreus, ainda que possuísse muitos traços hereditários não judeus, que vinham sendo adicionados à sua árvore genealógica, durante épocas, pela linhagem feminina dos seus progenitores. Na verdade, a linhagem ancestral do pai de Jesus remontava aos dias de Abraão, e através desse venerável patriarca remetia-se até às linhas mais antigas de hereditariedade, que se ligavam aos Sumérios e aos Noditas, e pelas tribos meridionais dos antigos homens azuis, até Andon e Fonta. Portanto, David e Salomão não faziam parte da linha directa dos antepassados de José, sendo que os ancestrais imediatos de José foram trabalhadores em artefactos, isto é, construtores, carpinteiros, pedreiros e forjadores. O próprio José era carpinteiro e mais tarde foi empreiteiro. De facto, a sua família pertencia a uma longa e ilustre linhagem notável de gente comum, acentuada de vez em quando pelo aparecimento de indivíduos incomuns, que se haviam distinguido de algum modo, e estiveram ligados à evolução da religião de Urântia.

Quanto a Maria, a mãe terrena de Jesus, era descendente de uma longa linhagem de ancestrais singulares, que abrangia muitas das mais notáveis mulheres da história das raças de Urântia. Embora Maria fosse uma mulher comum, da sua época e geração, sendo uma pessoa normal, contava, no entanto, entre os seus antepassados com mulheres bem conhecidas, tais como Anon, Tamar, Rute, Betsabá, Ansie, Cloa, Eva, Enta e Ratta.
  (... continua) 


1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6  [Pág. Seguinte]
topo
questões ao autor sugerir imprimir pesquisa
 
 
Flor de Lótus
Copyright © 2004-2017, Fundação Maitreya ® Todos os direitos reservados.
Consulte os Termos de Utilização do Spiritus Site ®