Homepage
Spiritus Site
Início A Fundação Contactos Mapa do Site
Bem-vindo
   Missão
   Agenda
   Notícias
   Loja
   Directório
   Pesquisa
   Marco Histórico §
   Guia de Sânscrito
   NEW: English Texts
Religião e Filosofia
Saúde
Literatura Espiritual
Meditação
Arte
Vários temas
Mosteiro Budista
Dificuldades na leitura? Experimente a versão não acentuada.
pág. 1 de 1
Percepção limitada

de Maria

em 09 Abr 2017

   O mal deriva da limitada percepção que temos da realidade, quer seja de nós mesmos, quer seja do mundo que nos rodeia. O mal em si, por si só não existe, o que existe é um desequilíbrio vibratório causado pela conjugação de forças devido à manifestação da matéria quando submetida à energia e força do Espírito. O mal é assim apenas a energia negativa que resulta da limitada percepção que o envolvimento do Espírito causa na matéria. Depois desta primeira fusão, Espírito e matéria (corpo físico), o mal vai-se diluindo conforme a percepção mental aumenta como resultado da espiritualização da matéria, num processo de auto purificação de cada ser humano.

Isto no caso da humanidade, porém, a manifestação da vida do Cosmos engloba muitas entidades de outras dimensões desconhecidas para o homem. Portanto, quando o Espírito se individualiza, submerge nas profundezas deste caos da manifestação da matéria e vem com a “tarefa” de dispersar a obscuridade que esta transporta permitindo-a evoluir para dimensões de equilíbrio onde o saber, o amor e a inteligência são o objectivo da realização espiritual do homem. Diremos que o Espírito é perfeito, mas permite-se vir à manifestação (matéria) pela necessidade da evolução na Unidade através da individualização num corpo físico.

É difícil para o homem na sua limitada compreensão saber quais os desígnios de Deus sobre toda a evolução do Cosmos e da vida humana. Há ideias ou conceitos, que parecem paradoxos, como por exemplo, quando dizemos que o Espírito é perfeito. Na realidade o é, contudo, quando se dá esta união de forças (Espírito e matéria) sobressai um caos temporário.

É na filosofia indiana do Sāmkhya que se encontra de forma bem elaborada esta dicotomia entre Espírito e matéria, ou seja quando Puruṣa, o Espírito puro deseja Prakṛti, a matéria para manifestar-se. Puruṣa percorre, então um longo percurso de vidas sucessivas até à purificação desejada, deixando-a finalmente numa derradeira libertação. Esta é a base deste grande sistema de especulação metafísica que leva à iluminação através da tomada de consciência desta dualidade.

Para sair deste ciclo propõe então empreender uma via mais consciente e espiritual no sentido de se libertar da prisão da matéria e retornar à sua Origem. Porém, na sua “bagagem” leva algo mais a adicionar à evolução cósmica.

(Encontra-se mais informação sobre o Sāmkhya no livro “Folhas de Luz”. Publicações Maitreya)

     


topo
questões ao autor sugerir imprimir pesquisa
 
 
Flor de Lótus
Copyright © 2004-2017, Fundação Maitreya ® Todos os direitos reservados.
Consulte os Termos de Utilização do Spiritus Site ®