Sétima Sinfonia de Bruckner

Orquestra Sinfónica Portuguesa

A Sinfonia n.º 7 de Anton Bruckner, dedicada a Luís II da Baviera, foi escrita em 1881 e revista em 1885. A estreia deu-se em Leipzig, em 1884, sob a direção de Arthur Nikish (maestro que esteve no Teatro Nacional de São Carlos em maio de 1901 com a Filarmónica de Berlim) e valeu a Bruckner o maior sucesso da sua vida.
Esta popularidade talvez se deva ao extraordinário arrobo lírico que se desprende da obra logo desde os primeiros compassos, quando, por entre trémulos nas cordas, se ergue um inesquecível tema de lirismo avassalador lançado pelos violoncelos. Bruckner declarou tê-lo ouvido em sonhos. A obra estrutura-se em quatro andamentos. O segundo, um monumental Adagio, foi poderosamente utilizado por Luchino Visconti em cenas do filme Senso. Bruckner começou a escrevê-lo tendo em mente a morte de Richard Wagner, então muito doente. Neste andamento são usadas, pela primeira vez numa sinfonia, as tubas wagnerianas.
O Finale não é tão imponente como o de outras grandes sinfonias do compositor. Houve mesmo quem o comparasse ao final de uma sinfonia de Haydn.

FICHA TÉCNICA
Direção musical Antonio Pirolli

Orquestra Sinfónica Portuguesa
Anton Bruckner (1824-1896) Sinfonia n.º 7 em Mi Maior WAB 107



Local: Centro Cultural de Belém

Em: 08 Jan 2023

Horário: 17h



http://www.fundacaomaitreya.com

Impresso em 4/3/2024 às 11:50

© 2004-2006, Todos os direitos reservados