Fundação Maitreya
 
Universo de consciências

de Maria

em 02 Out 2020

  O Universo é um vasto aglomerado de estados de consciência. Espírito e Consciência são sinónimos. A Consciência traduz-se por actividade inteligente, amor, compreensão e vontade. A Consciência define-se como a faculdade de captar; diz respeito, principalmente, à relação que discernimos entre o Eu e o não-Eu, ou o que se conhece e quem o conhece, o pensamento e quem emite o pensar, sendo esta captação mental que define a diferença. Na realidade, esta é a discriminação que nos esclarece sobre a dualidade desse Eu. Sem esta dualidade não perceberíamos a existência da Consciência.

O pensamento já é um produto da Consciência. Ser consciente é ser desperto, atento, portanto, é dizer Eu Sou, eu existo. De facto, a célebre frase de Descartes é uma máxima da realidade da consciência – “Eu penso, logo existo”. A Consciência é, acima de tudo, o produto da Unidade ou Consciência Cósmica e, quando o Espírito se individualiza, toma posse da matéria ou corpo físico, criando esta ponte (a Consciência) para seu uso, pois Ele é inteligência activa.

Assim, a individualização humana começa pela compreensão consciente por parte do Eu, e na relação com o todo. Em cada grau do despertar da Consciência, segue-se um período de gradual desenvolvimento até a um momento instantâneo de autorrealização, o qual, será seguido novamente de evolução gradual, após a culminação do que se aprendeu em certo período de tempo. Este momento de apreensão do que já foi vivido, portanto, realizado ao nível humano e espiritual, constitui uma absorção mental iniciática, onde se dá conta do que já evoluiu, quanto à sua expansão de Consciência. É um momento gratificante de autorrealização e compreensão do Divino pela experiência mística, que surge espontaneamente. É o culminar de um esforço no caminho da evolução da Consciência.

Deste modo, desde o Espírito são criados certos patamares mentais com os corpos etéricos que vão, gradualmente, descendo até ao corpo físico, coordenados pelo próprio Espírito, dispensando por etapas a inteligência-consciência. Esta “descida” do Espírito através dos corpos subtis ou planos de consciência, estabelece a sua vontade expressando-se como Consciência.
O objectivo de vida em cada Ser, consiste em realizar e levar adiante um propósito definido – é, por esse propósito que se deve desenvolver uma forma adequada física, mental e psíquica para uso do Espírito – isto uma vez compreendido, dá-nos a razão ou a necessidade de levar uma vida digna e responsável, num objectivo que merece o melhor dos nossos esforços. E, este esforço na busca por uma vida mais pura em ideais elevados, marca a diferença dos níveis de Consciência entre os seres. Por conseguinte, pelo reconhecimento dos próprios interesses, gradualmente, conduz também ao reconhecimento dos outros, num trabalho mais consciente para o bem do grupo ou ordem social da qual faz parte; assim, o bem aos outros surge a partir do seu próprio bem.

Há centros do corpo humano, principalmente o cérebro que evolui, geralmente por um desenvolvimento lento e normal, mas outra parte, ocorre no período em que o Ser já possui aspirações espirituais e, de forma consciente aplica a sua vontade na própria evolução, dando assim, um carácter construtivo à sua vida. Uma das forças para o homem/mulher desenvolver é o poder mental equilibrado na busca da autorrealização, ou ligação à Unidade. Nesta sintonia desenvolve maior sensibilidade, harmonizado numa vibração mais elevada, mais refinada e a um ritmo diferente, regido mais pelo aspecto da vontade e, não tanto pelas emoções e desejos.

Desta forma, para elevar a mente aos planos superiores ou morada do Espírito, será requerida a autodisciplina, controlo mental e refinamento dos corpos físicos e subtis, podendo então resultar em maior irradiação do coração, portanto, à abertura do amor incondicional. É desta forma que se completa o aperfeiçoamento da vida ou da personalidade, que então, conduz às portas de iniciações maiores, sinal de que se realizou o trabalho, marcando um fim de um ciclo menor, para começo e transferência de outro, numa espiral mais elevada.
Ser cada vez mais consciente é o propósito de vida de cada Ser, com infinitas graduações e atitudes para se integrar, inteligentemente, numa Consciência Universal, rumo à Cósmica, numa escalada independente e pessoal, pois só assim, se tornará responsável pelas suas acções e pensamentos.
   


® http://www.fundacaomaitreya.com

Impresso em 22/10/2020 às 7:27

© 2004-2020, Todos os direitos reservados