Fundação Maitreya
 
O Desperto

de Maria

em 22 Fev 2015

  O Desperto, epíteto de Budha é muito abrangente no seu significado. O desperto para a vida espiritual é aquele que encara a vida com inteligência, frontalmente erguendo o bastião da superação e resiliência não adormecendo perante os obstáculos. Superação, entenda-se como uma forma inteligente de enfrentar situações adversas que obrigam a olhar para compreensão real dos factos, tentando então soluções, ou uma aceitação consciente de tais circunstâncias e, não como uma forma de delegar para depois as resoluções, como vencidos pela vida.

Na realidade, todos os ensinamentos orientais incluindo o Budismo falam em ultrapassar as dificuldades pela força interior, pela investigação e em sublimar os desejos mais primários, pois são eles os embaladores da mente para o encanto do sonho acordado. Assim, trabalhar os apegos é abrir portas à clareza mental sendo esta que denúncia o grau do despertar.

As práticas que estas filosofias propõem são no sentido de tornar o ser desperto através da atenção, concentração e meditação. A dispersão pelos quereres cria falsos poderes que embotam a mente, adormecendo-a. Desperto é estar atento a si mesmo e à vida.

Atento a si mesmo inclui disciplina, autoconhecimento para o melhoramento do carácter e consequentemente sublimação dos desejos que provocam hábitos perniciosos, bem como estar atento a novos conceitos. Sobretudo, atento às suas próprias percepções mentais e emocionais. Ter cuidado com o que se pensa e com o que se sente é um passo importante para conseguir o domínio de si e estar desperto, alerta.

Ser atento à vida requer; superação frente às contrariedades, disciplina mental e física, objectivos e direcção delineada contrariando a dispersão.
Estes são passos importantes para levar uma vida desperta espiritual e física pois uma não existe sem a outra.

Completar a vida nestas linhas constitui o despertar das primeiras etapas duma caminhada que se quer espiritual mais consciente rumo ao conhecimento do Divino.

O desperto é aquele que está atento e se melhora minuto a minuto, até que a mente adquira a clareza cristalina, onde então sobressai a equanimidade. O pensamento flui sem atropelos, sem confusão porque a mente adquiriu a estabilidade do seu funcionamento. Os atropelos à mente acontecem porque não há disciplina no pensar, mas quando se apaziguam os quereres ou prazeres inúteis começa a possibilidade do domínio da mente. E ter serenidade mental e viver em paz consigo mesmo é consequência do verdadeiro despertar. A mente desperta olha e vê com clareza o que antes via nublado e está acordado para a realidade da vida e de si mesmo.
   


® http://www.fundacaomaitreya.com

Impresso em 22/2/2020 às 19:13

© 2004-2020, Todos os direitos reservados