Fundação Maitreya
 
Consciência elevada

de Maria

em 28 Jan 2018

  O ser humano é um fragmento da Mente Universal ou Espírito Supremo e como tal participa dessa qualidade por meio da manifestação da vida. Portanto, o homem é divino na sua essência, mas não é ainda reconhecido como um factor científico, nem é aceite universalmente. A questão é que cada ser humano, quer seja homem ou mulher evolui através da mente ou inteligência e, desenvolve a consciência reconhecendo primeiro as suas filiações grupais (família, amigos e depois o grupo espiritual do qual faz parte), e só depois obtém a Consciência da sua filiação cósmica ou Mente Universal.

Cada ser humano é uma encarnação de Deus ou uma sua manifestação. O problema é chegar a esta compreensão ou realidade, de que faz parte de Deus. Isto exige de cada ser humano a elevação de Consciência até aos níveis superiores do plano mental ou seja expandir a sua consciência até chegar à consciência (compreensão) dessa vida superior. A consciência seja ainda primária ou já elevada é desenvolvida ao longo das encarnações, ou seja gradualmente, entre estes dois estados (primária e elevada). Naturalmente isto leva muito tempo, eras e eras, contudo, em determinado ponto de maior consciência, o indivíduo começa a esforçar-se para obter mais evolução fazendo-o de forma mais célere e consciente. Adquire assim, por mérito pessoal, maior consciência de si e do Todo.

Uma das formas é por meio da devoção e dedicação ao percurso espiritual, com certa disciplina para assim penetrar no seu próprio centro cardíaco ou pequeno sistema de raios do seu próprio sol, donde irradia a sua própria luz divina.

O grande problema actual é o facilitismo – todos querem chegar ao final do caminho espiritual sem passar pelas etapas, de começo e meio, como se a realização espiritual fosse apenas um querer mental. Sim, o mote está lá, mas o objectivo só é alcançável pelo esforço da vontade no aperfeiçoamento. Não há volta a dar. A realização da Consciência superior é sobretudo o resultado do alinhamento à Unicidade ou Deus, que infelizmente para a maioria das pessoas permanece esquecido ou bloqueado. A realização da Consciência superior é conhecer inteligentemente Deus e isso nunca mais se esquece, passando mesmo essa realização de vida para vida (reencarnação).
Aceder e manter uma Consciência superior, não acontece pelo querer mental, mas pela realização interna na superação de si mesmo; ao olhar os defeitos, corrigindo-os e enaltecer as virtudes ou qualidades, até começar a viver em determinada dimensão (estado interior), onde a Consciência superior é uma vivência natural.

O querer serve naturalmente de impulso, mas se não se trabalhar para a transmutação de carácter e dos sentidos primários ou reconhecer os desejos e ambições materialistas, não se obterá resultados de realização espiritual e, portanto, a Consciência superior não se manifesta. Neste percurso é desenvolvido então o Amor e a Sabedoria. Sem estes atributos ninguém obtém a Consciência superior, que é viver sob os valores mais espirituais e não os mentais ou quereres pessoais, mas num objectivo e empenho no bem universal.

O egoísmo, a vaidade, a ambição são obstáculos a vencer para a realização interna num caminho de trabalho consciente sobre si mesmo, onde a prática da meditação já é sinal de que o praticante está a caminho da Consciência superior ou integral. É por isso que nem todas as pessoas, embora o queiram fazer não o conseguem (meditar), pois só com treino pode surgir a vontade da transmutação. A Consciência superior é para ser realizada por cada um, internamente. Querer manter a consciência superior quando ainda não se sabe o que isso é, apresenta-se ilusório. A Consciência superior é a vivência consciente em Deus, e há um percurso interno para lá chegar: a auto-realização!
   


® http://www.fundacaomaitreya.com

Impresso em 19/10/2018 às 17:40

© 2004-2018, Todos os direitos reservados