Fundação Maitreya
 
A Música

de Maria

em 04 Abr 2018

  O som, a palavra, a música e o eco, a soma de todas as partes.
O som ecoa pelo espaço à medida que as formas de matéria se movimentam, colidem, ardem ou se esfumam em nuvens de gaz, de fumo. Seria o som, o primeiro de todos os elementos a nascer numa alvorada cósmica, tal arauto para a formação de galáxias, constelações, estrelas e de outras formas planetárias. Foi emitida a primeira nota da escala cósmica que rasga os céus, quais raios anunciando o despertar da Vida. Todos ouvem o som e se perfilam para o trabalho.


Depois vem a palavra dos construtores que convoca os arautos da arquitectura do universo, e se prontificam por eons à sua construção e preservação e, finalmente, à sua inevitável desintegração.
A música emitida deste movimento acompanha o fogo ígneo que, alimenta tudo o que vibra no espaço e, o ritmo repercute-se pelos confins do infinito para que nada fique estático neste existir da Vida.

Certo som ou nota emitida pelo Logos ou Construtor produz uma vibração no plano mental que reúne, coerentemente, poderosas forças ou energias logóicas em plena actividade e harmonia.
É do som das esferas que saem acordes que, ressoando pelo espaço, tais notas de música, vibram de acordo e em uníssono com as notas ou tons que cada ser humano, integra dentro de si. Ao nível humano, as principais são as que se encontram nos centros do coração e da mente e, respondem ao clamor das notas emitidas pelas cordas de um violino, de um teclado do piano ou de outros instrumentos, e que pela nobreza do acorde, conseguem fazer vibrar estes centros.

A música pode fazer rir de alegria ou chorar misticamente, sendo este o aspecto que se torna mais difícil para quem o experiencia; compreender o que se passa no seu interior quando se é tocado pelo transcendente. Porém, tanto a música, como a arte são extensões de sons da arquitectura cósmica, que se repercutem e vibram numa escala menor, sendo esta representada pelos seres humanos.

Tudo ressoa no universo, desde o grande ao pequeno, sendo a música o efeito melódico que abrange escalas exponenciais e serão sentidas, em maior ou menor vibração por cada Ser, quer seja visível, quer seja invisível.

O ser humano vem preparado interiormente para responder aos sons cósmicos de acordo com os seus próprios sons ou notas. Por isso, ouvir música é um dever, ou mesmo uma necessidade humana para que não se perca a sua ligação com o cosmos.

A qualidade da música que cada um pode ouvir ou escolher tocar depende, também da sublimação ou pureza de carácter para que resulte em sons mais cristalinos, portanto, a qualidade resulta das suas próprias notas e harmonias.
   


® http://www.fundacaomaitreya.com

Impresso em 24/9/2018 às 21:51

© 2004-2018, Todos os direitos reservados