Fundação Maitreya
Notícias
  Relógio Biológico  08 Dez 2010

Relógio biológico é influenciado pela estação em que se nasce
Investigação pode abrir portas à compreensão de alguns distúrbios neurológicos

A estação do ano em que se nasce pode determinar algumas características do relógio biológico e, por consequência, o humor, uma vez que é este “sistema” que o regula, revela um artigo publicado na "Nature Neuroscience".

O estudo da Universidade Vanderbildt, nos EUA, explicou a razão pela qual nascer no Inverno implica um maior risco de se sofrer de transtornos mentais como a depressão sazonal ou esquizofrenia, dizendo que a estação do ano em que se nasce afecta a zona cerebral que comanda o relógio biológico nos mamíferos - núcleo supraquiasmático.

Nos testes realizados em ratos, os investigadores verificaram que aqueles que nasceram e foram desamamentados num ciclo de luz de Inverno, quando adultos, apresentaram rupturas dramáticas nos seus relógios biológicos, comparativamente com outros nascidos no Verão.

Os cientistas ainda não determinaram se os seres humanos têm respostas semelhantes às que os ratos tiveram à exposição de luz, após o nascimento. No entanto, dizem que a resposta verificada nos ratos nascidos no Inverno à mudança de estação é idêntica ao transtorno afectivo sazonal humano.

Desta forma, os investigadores sugerem que a luz a que as pessoas são sujeitas na infância pode ter influência no seu futuro, pelo que este estudo pode ser importante para a compreensão do aparecimento de alguns transtornos.

Alteração dos relógios biológicos

As cobaias foram divididas em três grupos: as que nasceram em ciclos de Verão (com 16 horas de luz e oito horas de escuridão) e de Inverno (8 horas de luz e 16 horas de escuridão) e ainda um terceiro conjunto que nasceu e foi amamentado num ciclo de 12 horas de luz e outras doze de escuridão.

Após o desmame, alguns ratos foram sujeitos a novos ciclos de luz, inversos aos que estavam habituados. Depois de um período de 28 dias, todos foram submetidos a um ambiente de escuridão total, com a eliminação de toda a luz que influencia o relógio biológico.

Foi aí que os investigadores verificaram que os ratos nascidos no Verão mantiveram a sua atitude quando foram sujeitos ao ciclo de Inverno, mantendo-se activos por dez horas seguidas até ao anoitecer. No entanto, os ratos nascidos no Inverno não se comportaram da mesma forma aquando da substituição de ciclo. Enquanto os que se mantiveram no Inverno continuaram a ficar acordados por dez horas, os que se mudaram para o ciclo de Verão estiveram activos por mais uma hora e meia.



http://www.fundacaomaitreya.com

Impresso em 27/4/2017 às 8:11

© 2004-2017, Todos os direitos reservados