Fundação Maitreya
Notícias
  Vitamina D  19 Mai 2014

SOBRE A VITAMINA E A EXPOSIÇÃO AO SOL

(Compilado por Mike Adams, com base em uma entrevista com o Dr. Michael Holick, autor do livro “The UV Advantage)

A vitamina D evita a depressão, a osteoporose, o cancro da próstata, da mama e até mesmo efeitos de diabetes e obesidade. A vitamina D é talvez o nutriente mais subestimado no mundo da nutrição. Isso é provavelmente porque é “gratuita”: o seu corpo produz vitamina D quando a luz solar atinge a sua pele. As empresas farmacêuticas não lhe podem vender a luz solar, por isso não há divulgação dos seus benefícios para a saúde.

A maioria das pessoas não sabe destes factos verdadeiros sobre a vitamina D:

1. A vitamina D é produzida pela pele em resposta à exposição e radiação ultravioleta da luz solar natural.

2. Os saudáveis raios de luz solar natural que geram a vitamina D na sua pele não atravessam o vidro e, por isto, o seu organismo não produz vitamina D quando você está no carro, no escritório ou em sua casa, ao sol mas através de janelas.

3. É quase impossível conseguir quantidades suficientes de vitamina D a partir da alimentação. A exposição à luz solar é a única maneira confiável para seu corpo dispor da vitamina D de que precisa.

4. Seria necessária a ingestão diária de dez copos grandes de leite enriquecido com vitamina D para obter os níveis mínimos necessários de vitamina D. (ou óleo de fígado de bacalhau, que também a contém).

5. Quanto maior a distância da linha do equador e o lugar onde você vive, maior será a exposição ao sol necessária para gerar vitamina D, pois depende do ângulo de incidência dos raios solares. Canadá, Reino Unido, a maior parte dos EUA estão longe do equador, enquanto a maior parte do Brasil está perto do equador.

6. Pessoas com a pigmentação escura da pele podem precisar de 20 a 30 vezes mais de exposição à luz solar do que pessoas de pele clara para gerar a mesma quantidade de vitamina D. Por isto, também, o cancro da próstata é muito frequente entre homens negros - é a simples deficiência generalizada de luz solar.

7. Níveis suficientes de vitamina D são essenciais para a absorção de cálcio nos intestinos. Sem vitamina D suficiente, o seu corpo não pode absorver o cálcio, tornando os suplementos de cálcio inúteis. Sem vitamina D serão eliminados, podendo, em excesso, causar até pedra nos rins.

8. A deficiência crónica de vitamina D não pode ser revertida rapidamente. São necessários meses de suplementação de vitamina D e de exposição à luz solar para “reconstruir” os ossos e o sistema nervoso.

9. Mesmo os filtros solares fracos (FPS = 8) bloqueiam em 95% a capacidade do seu corpo de gerar vitamina D. É por isto que o uso constante de protectores solares provoca uma deficiência crítica de vitamina D.

10. A exposição à luz solar não gera a produção excessiva de vitamina D no seu corpo, porque ele auto regula-se e produz apenas a quantidade de que necessita.

11. Se a pressão firme sobre o seu osso esterno dói, você pode estar a sofrer de deficiência crónica de vitamina D.

12. A vitamina D é “activada” pelos rins e fígado, antes de ser usada pelo organismo e, por isto, doenças renais ou hepáticas podem prejudicar muito a activação da vitamina D circulante.

13. A indústria de protectores solares não quer que você saiba da necessidade de exposição ao sol, porque esta revelação significaria a queda nas vendas dos seus produtos.

14. A vitamina D é um poderoso “remédio” que o seu próprio corpo produz inteiramente de graça e sem necessidade de prescrição médica!

15. Algumas substâncias denominadas “antioxidantes” aceleram muito a capacidade do organismo para lidar com luz solar, sem que ela nos provoque danos, e também permitem que você fique exposto ao sol duas vezes mais tempo sem problemas. Um exemplo de tais antioxidantes é a astaxantina (micro-alga existente também no salmão e em vários crustáceos), poderoso “filtro solar interno”. Outras fontes de antioxidantes similares são algumas frutas (romã, mirtilo, etc.), algumas algas e alguns crustáceos do mar (camarão, “krill”, etc.)

Doenças e condições causadas pela deficiência de vitamina D:

. A osteoporose é geralmente causada por falta de vitamina D, que provoca deficiência na absorção de cálcio.

. A deficiência de vitamina D na infância causa o raquitismo, falta de calcificação dos ossos.

. A deficiência de vitamina D pode agravar o diabetes de tipo 2 e prejudicar a produção de insulina pelo pâncreas.

. Os bebés que recebem a suplementação de vitamina D (2.000 unidades por dia) têm um risco 80% menor de desenvolver diabetes de tipo 1 durante os vinte anos seguintes.

. A obesidade prejudica a utilização da vitamina D no organismo e os obesos precisam de duas vezes mais vitamina D.

. A depressão, a esquizofrenia e os cancros de próstata, de mama, do ovário e do cólon são frequentes em pessoas com deficiência de vitamina D. Portanto, níveis normais de vitamina D previnem estas doenças.

A exposição à luz solar natural é a estratégia mais simples, mais fácil e ainda uma das mais importantes para melhorar a saúde. Se mais pessoas lessem estas informações, poderíamos reduzir drasticamente as taxas de várias doenças crónicas. A exposição à luz solar é realmente uma das terapias mais poderosas. Não há nenhuma droga, nenhum procedimento cirúrgico ou de alta tecnologia que chegue sequer perto do surpreendente efeito saudável da luz natural. E o melhor: você pode obtê-lo gratuitamente!!!

. E o risco de desenvolver doenças graves como diabetes e cancro é reduzido de 50% a 80% através da exposição simples à luz solar natural, 2 a 3 vezes por semana.

. A depressão sazonal de inverno, muito comum nos países de clima temperado e frio, é causada por um desequilíbrio da melatonina, devido à menor exposição ao sol.

. A vitamina D é utilizada no tratamento da psoríase, doença inflamatória crónica da pele.

. A deficiência crónica de vitamina D é muitas vezes diagnosticada erradamente como fibromialgia, porque os seus sintomas são muito semelhantes: fraqueza muscular e dores.

Estatística chocante! São deficientes em vitamina D: 40% da população dos EUA, 32% dos médicos e estudantes de medicina, 42% das mulheres afro-americanas em idade fértil, 48% das meninas de 9 a 11 anos, até 60% dos pacientes de hospitais, até 80% dos pacientes do lar de idosos, 76% das mulheres grávidas e 81% das crianças delas nascidas, as quais terão, mais tarde na vida, maior predisposição a diabetes tipo 1, à artrite, à esclerose múltipla e à esquizofrenia.

O que você pode fazer:
1- Apanhar sol directo, sem protector solar – pode usar um creme ou óleo amaciador, mas não anti-UV, sem contudo fazer uma exposição prolongada de cada vez (principalmente quando a pele está muito branca), de modo a evitar as queimaduras. Pode expor-se mais se ingerir produtos ou alimentos antioxidantes (ponto 15).
No Inverno, com o corpo mais coberto, pode compensar com alguns suplementos de vitamina D.

2- Divulgar estas informações sem esperar que a indústria médica e farmacêutica o façam: afinal elas são acima de tudo “indústrias” (mesmo que servidas por médicos ou farmacêuticos bem intencionados, mas nem sempre bem informados) e o que traz lucros a essas indústrias são as doenças, não a saúde…



http://www.fundacaomaitreya.com

Impresso em 11/12/2017 às 5:48

© 2004-2017, Todos os direitos reservados