Fundação Maitreya
 
Cuidar da Imunidade

de Maria

em 13 Abr 2014

  Uma alimentação equilibrada é o segredo para manter o corpo forte e saudável. Fortalecer as defesas do organismo contribui para combater infecções causadas por vírus em todas as estações do ano, embora no Inverno seja necessário desenvolver mais resistência para as agressões climáticas. Existem especificações que podemos tomar em conta para assegurar que a alimentação seja também um factor curativo. Convém também recordar que tudo que seja em excessos prejudica a saúde, como comer demasiado a uma refeição, ingerir açúcares, seja em sobremesas seja nas bebidas, já que hoje em dia, infelizmente o açúcar é adicionado a muitos produtos que consumimos não sendo necessariamente da categoria de doces.

Cuidar da imunidade através dos alimentos
Os alimentos devem ser variados e “vivos” frescos, pois a natureza oferece uma gama diversificada de produtos alimentícios; frutas, verduras, hortaliças e plantas aromáticas, cruas ou cozidas, cereais que através deles fornecem-nos energia vital. Devido á riqueza de elementos “vivos” (fermentos, vitaminas, minerais etc.,) os sumos e batidos naturais são de grande utilidade, não só para criar imunidade a doenças, como contribuem para a recalcificação óssea. Encontra-se cálcio natural nos nabos e nabiças, ortigas, brócolos sendo sempre recomendáveis o ano todo, bem como os cereais integrais, brotos de sementes germinadas pois ajudam muito ao processo de recalcificação.
Incluímos alguns elementos específicos para cuidar da imunidade.

Mel
O mel pode ser usado como tratamento auxiliar principalmente nos problemas pulmonares e de garganta, gripes e resfriados devido à sua acção bactericida e anticéptica. É uma importante fonte de energia para o corpo e um substituto do açúcar. Pode ser adicionado a bebidas quentes como chás, frutas cozidas.
Composição do mel:
Contém 70 substâncias biologicamente activas, a maior parte das quais provêm do néctar e, algumas das glândulas hipofaríngeas da abelha, como as enzimas e inibinas:
Água, hidratos de carbono e minerais (pequenas quantidades), tais o ferro, fósforo, magnésio, cálcio e potássio. Também contém oligo-elementos como o zinco, o cobre e o magnésio.
Glicose: quando chega ao intestino delgado passa directamente para o sangue, e a partir deste é distribuída por todas as células do organismo, onde se oxida ou queima, produzindo uma grande quantidade de energia que se armazena em forma de ATP (trifosfato de adenosina). A glicose precisa da hormona insulina para entrar nas células e ser queimada.
Contém ainda: Proteínas, vitaminas, ácidos orgânicos.

Gengibre
O gengibre é um potente anti-oxidante de acção expectorante que estimula o sistema imunológico, com características anestésicas e anti-inflamatórias. O seu rizoma tem um sabor doce e intensamente aromático, que pode empregar-se em diversos guisados, assim como em conservas de frutas

Castanhas
São fonte de vitaminas e minerais como o selénio que contribuem na formação das células de defesa do organismo. As castanhas possuem quantidades de gordura como o ómega 3, que ajuda ao processo anti-inflamatório.
Propriedades e indicações:
A castanha é um dos alimentos mais ricos em hidratos de carbono que a natureza nos oferece (37,4%), só comparável às leguminosas e aos cereais. Os hidratos de carbono da castanha são formados em grande parte por amido (85%), seguidos pela sacarose (15%). Não contém glicose nem frutose. Contém proteínas e gorduras, sendo a maior parte delas mono ou polinsaturadas. É rica em vitamina C e sobretudo em vitaminas do complexo B (semelhante à do trigo integral), B1, B2, B6 e niacina. Em minerais salienta-se a sua riqueza em potássio, ferro, fósforo, magnésio, cálcio e os oliogoelementos zinco, cobre e manganésio.
A castanha actua no organismo como tonificante muscular e alcalinizante. Recomendável para estados de fadiga devido a esforço físico ou desnutrição. Produz uma acção tonificante sobre os músculos transmitindo energia e bem-estar.

Laranja
Fonte de vitamina C, um nutriente fundamental para o sistema imunológico que impulsiona a produção das células de defesa e ajudam ao processo de cicatrização e estimulam todas as funções hepáticas. Tal como as uvas ajudam a eliminar as pedras ou cálculos nos rins ao mesmo tempo estimulam o bom funcionamento dos intestinos.

Limão
É uma das frutas mais ricas em vitamina C, a juntar a outros componentes anti-oxidantes. Rico em ácido cítrico e ácido ascórbico, o limão é benéfico para diferentes funções do corpo. Evita hemorragias e ajuda a cicatrização impedindo infecções. Tem grande concentração de ácido nicotínico, protege as artérias evitando maiores problemas cardiovasculares, para quem padeça desta doença. O limão é um excelente depurador, portanto, diminui a viscosidade do sangue, prevenindo contra maiores riscos de trombose e alivia a hipertensão; a má circulação do sangue, o endurecimento das artérias, varizes ou vasos sanguíneos frágeis podem ser estabilizados com uma cura à base de limão. Embora o limão actue sobre todo o organismo, as suas aplicações medicinais advêm especialmente dos efeitos que exerce sobre o sangue:
Anti-anémico: aumenta a absorção do ferro,
Fluidificante: evita a trombose,
Depurativo: facilita a eliminação das substâncias tóxicas do sangue.
Anemia: Para quem sofre de anemias o limão nunca deveria faltar na refeição, que embora o seu conteúdo em ferro seja escasso possui um grande poder anti-anémico devido a fazer aumentar a absorção do ferro contido nos alimentos vegetais. Este efeito deve-se especialmente à vitamina C que é notavelmente potenciado pelos componentes não nutritivos do limão, tais como os ácidos orgânicos. O limão contém também uma boa quantidade de ácido fólico, que contribui para a produção de sangue.

Romãs e bagas silvestres
A romã desinflama o intestino e enriquece o sangue.
A romã possui excelentes propriedades anti-oxidantes que impedem a proliferação de células cancerígenas. Apresenta uma gama de utilizações clínicas na prevenção e tratamento do cancro e de outras doenças.
Propriedades e indicações:
A romã contém uma quantidade de hidratos de carbono (em forma de açúcar) superior ao da maioria dos frutos. Quanto a proteínas apresenta uma quantidade respeitável, tendo em conta tratar-se de uma fruta fresca. É rica em vitaminas C, E, e B6, contendo também quantidades significativas de B1, B2 e niacina. Os minerais mais abundantes são o potássio, o cobre e o ferro. De entre os componentes nutritivos destacam-se: taninos, ácido cítrico, antocianinas, peletierina (alcalóide que faz expulsar os parasitas intestinais). Todos estes componentes dão à romã as seguintes propriedades: adestringentes, anti-inflamatória, remineralizante, alcalinizante e depurativa.

As bagas silvestres apresentam efeitos semelhantes ao da romã. Segundo investigações o ácido elágico que se encontra em vários frutos e vegetais, inibe a formação de tumores.
As amoras são rica em compostos que estimulam e aceleram a libertação de insulina, melhorando a síntese de glicose. Também contribui para regular a pressão arterial e actuar como bactericida e anti-inflamatório. As amoras são ricas em folatos e fibra, ferro, vitamina C e antocianinas, um tipo de flavonoides que regenera os pigmentos da retina e melhoram a visão. As amoras silvestres exercem uma poderosa acção antioxidante pelo que se recomenda nas afecções coronárias (angina de peito e enfarte) e na prevenção do cancro.

Mirtilos
São importante na dieta em geral pois tem um alto poder anti-oxidante, que reduz a acção dos radicais livres, associado ao envelhecimento, e preveni o cancro, doenças cardíacas, Alzheimer e muitas outras doenças. Combate infecções e estimula o sistema imunológico.
Os mirtilos contêm ácido quínico, substância que se elimina pela urina. Esta substância acidifica a urina, evitando que se formem cálculos de fosfato de cálcio ou outro tipo de cálculos. A sua acção anti-microbiana manifesta-se também sobre o tubo digestivo, a que se junta o efeito adstringente do tanino. Normaliza e reequilibra a flora intestinal, impedindo a excessiva proliferação do Escherichia coli, o gérmen mais frequente do intestino. Pelo seu conteúdo em antocianinas, os mirtilos actuam protegendo as paredes dos vasos capilares e venosos. Reduz a inflamação e inchado dos tecidos. O seu consumo é recomendado em casos de pernas inchadas, varizes, flebites, úlceras varicosas e hemorróidas.
Perda de visão de causa retiniana: as antocianinas do mirtilo (substâncias responsáveis pela cor do fruto, mais abundantes em cor azul escuro ou pretas) melhoram o funcionamento da retina e, consequentemente, a acuidade visual. Isto torna os mirtilos muito recomendáveis em caso de diabetes, hipertensão ou arteriosclerose, doenças que afectam a retina diminuindo a acuidade visual.

Uva
A uva, no seu consumo natural e em sumos tem inúmeras qualidades terapêuticas. Tenra, sumarenta e saborosa, abundante em Portugal no Verão, é um excelente depurativo, pois tem um grande poder antioxidante, dado que estimula o funcionamento de órgãos tão importantes como o fígado e os rins, bem como os intestinos, facilitando a eliminação de resíduos tóxicos do organismo. A polpa da uva contém substâncias que combatem os agentes cancerígenos. Tem uma grande variedade de minerais, como o cálcio, o magnésio, o ferro, o sódio, o fósforo e o manganésio. O elevado conteúdo em potássio faz da uva um poderoso diurético. É a uva um reconstituinte, que fornece energia devido à sua riqueza em glucose e ferro.
   


® http://www.fundacaomaitreya.com

Impresso em 19/9/2021 às 9:20

© 2004-2021, Todos os direitos reservados