Homepage
Spiritus Site
Início A Fundação Contactos Mapa do Site
Introdução
Arte
Biografias
Agenda
Notícias
Loja
Directório
Pesquisa
Marco Histórico §
Guia de Sânscrito
NEW: English Texts
Religião e Filosofia
Saúde
Literatura Espiritual
Meditação
Arte
Vários temas
Mosteiro Budista
A criatividade representa a face nobre do homem, quer seja de uma forma concreta, material, quer subjectiva, subtil através do seu Pensamento. Qualquer forma criativa é arte, e arte é religar a ponte entre a matéria e o Espírito, entre o homem e Deus, podendo a inspiração levar a horizontes cada vez mais alargados, tocando o Infinito…

pág. 1 de 3
A Arte

de Utpal K. Banerjee

em 12 Mar 2007

  Segundo Kamaladevi Chattopadhyay, antigamente os indianos foram atraídos pela beleza como um atributo de divindade. O país sempre tem sido um berço de uma variedade infinita de artes visuais, artes performativas e artesanato, em que a beleza foi dotada com divindade. Houve cânticos ricos e líricas oracionais dirigidos à beleza como a fonte de vida. Portanto é natural que esta tentativa de se estender à beleza e as suas várias manifestações se tornou num factor constante na vida quotidiana do povo.


A Arte

Na vida diária da Índia

Segundo Kamaladevi Chattopadhyay, antigamente os indianos foram atraídos pela beleza como um atributo de divindade. O país sempre tem sido um berço de uma variedade infinita de artes visuais, artes performativas e artesanato, em que a beleza foi dotada com divindade. Houve cânticos ricos e líricas oracionais dirigidos à beleza como a fonte de vida. Portanto é natural que esta tentativa de se estender à beleza e as suas várias manifestações se tornou num factor constante na vida quotidiana do povo.
Assim a arte se tornou numa parte integral da vida e personalidade, da qual se pode gostar em todas as actividades. As medidas de comparação como harmonia, proporção, ritmo e proeminência misturam-se completamente com rituais e ofertas votivas. Na Índia, o artesanato sempre foi uma actividade básica da sociedade humana porque as artes são uma parte integral da vida indiana. A arte é reconhecida aqui como uma expressão da alma humana na forma material, que nos dá prazer. As belas artes representam esta forma material.

Desde tempo antiquíssimo, os homens primitivos ornaram o seu corpo, e depois, objectos de uso diário. Mais tarde, ornaram as suas armas e finalmente o seu ambiente. Numa continuidade ininterrupta, paredes - ásperas das cabanas e havelis (casas) camponesas e chãos vulgares floresceram em quadros (§) encantadores. Um agente de morte como o arco e a seta foram embelezados com decorações. Deram a Kumbhs (vasilhas) formas agradáveis e desenhos fascinantes cobriram as panelas. Aqui se observa a transformação do simplesmente funcional em obras de arte visual assim tornando o vulgar num objecto estimado. Nenhum aspecto da vida quotidiana é significativo ou modesto para reclamar beleza ou adquirir santidade como símbolo de bom presságio.

Por exemplo, a olaria foi considerada a lírica de artesanatos. A Kumbh (vasilha) é feita pelo oleiro que começa a trabalhar todas as manhãs acendendo uma lamparina como uma marca de respeito ao seu Criador. Até o oleiro mais analfabeto preparando faiança mostra uma percepção natural de qualidade estética. Obras de madeira representam um outro mundo maravilhoso provindo da afindade do homem à natureza onde todas as coisas têm de ser embelezadas por entalhes.
Assim, todos os objectos de casa como o pilão, a batedeira, a charrua, até a carroça para transportar a madeira se tornam em peças de artesanato. As portas de casas bem como de templos são decoradas por entalhes como um sinal de bom presságio.
Pela mesma razão são decorados os tectos, colunas, pilastras, vigas e consolas do canto. Depois disso vem a sofisticação – em forma de arcas, recipientes, caixas para guardar joalharia e bijutaria ou nozes e especiaria, candeias e tabuleiros e peões de xadrez. Muito antes do mobiliário moderno, a literatura védica referiu uma variedade de divã-cama. Caxemira, Gujarat, Tamil Nadu e Karnataka têm uma profusão de entalhes ricos de madeira. As imagens de divindades populares em toda parte da Índia também são decoradas com entalhes de madeira.
Decorações embutidas, pinturas em madeira e objectos de laca são outras variedades emergendo da mesma inspiração.

A pedra vem depois do barro e da madeira. A Índia é dotada de uma grande variedade de pedras e monumentos de pedra em todo o país e atingem muitas vezes um esplendor sublime demonstrando harmonia perfeita entre a sua arquitectura e escultura. Em Tamil Nadu há uma grande tradição de ícones talhados que possuem excelência clássica. E os canteiros, conhecidos como sthapatis, são geralmente versados nos domínios ligados à dança, música, matemática e religião. Em Bengala Ocidental e Rajastão, os artesões fazem obras de arte de pedra para uso diário de casa tais como pratos e tigelas.
Tecidos calorosos são celebrados desde muito tampo devido ao seu trabalho feito à mão. Entre eles, tecidos de algodão e seda são pérolas de tecelagem indiana.
  (... continua) 
topo
questões ao autor sugerir imprimir pesquisa
 
 
Flor de Lótus
Copyright © 2004-2017, Fundação Maitreya ® Todos os direitos reservados.
Consulte os Termos de Utilização do Spiritus Site ®