Homepage
Spiritus Site
Início A Fundação Contactos Mapa do Site
Introdução
Sagrados
Sugestões de Leitura
Especiais
Agenda
Notícias
Loja
Directório
Pesquisa
Marco Histórico §
Guia de Sânscrito
NEW: English Texts
Religião e Filosofia
Saúde
Literatura Espiritual
Meditação
Arte
Vários temas
Mosteiro Budista
Em Especiais encontrarão temas que pela sua profundidade, merecem distinção e como tal são jóias preciosas para se guardar religiosamente no coração.

pág. 1 de 1
De orações e festas

de Safrina Nishad

em 09 Ago 2014

  Com o tempo houve mudanças na forma como a Índia observa a Quaresma, Sexta-feira Santa e Domingo de Páscoa. Mas a fé, a sinceridade e ligação da família permanecem no centro de todas as cerimónias. Festivais indianos são uma ocasião para a gula ou para a falta dela, ou às vezes ambas. No período da Quaresma, por exemplo, os cristãos (assim como os não cristãos) ficam num período sabático de 40 dias e quebram o jejum de um mês com um banquete. Mas essa não é a única ocasião que simboliza a Quaresma. Cada dia significa uma lembrança auspiciosa.
Mardi Gras ou Terça-feira da panqueca tem um papel importante na preparação para a Quaresma. Sabe-se que as crianças devoram panquecas caseiras da avó um dia antes do jejum começar para amortecer o golpe. Um banquete de preparação, e esta refeição deixa todo o mundo pronto para o mês de moderação. Não é à toa, que é carinhosamente chamada de Terça Gorda.


Quaresma

Quarta-feira de cinzas é o dia de solenidade e oração e marca o primeiro dia da Quaresma. Folhas sagradas de palmeira do Domingo de Ramos do ano anterior são queimadas e trituradas para serem preservadas para esse dia. Indianos de todo o país aceitam a cruz (§) na testa do sacerdote como um lembrete da moralidade humana e de luto. Durante a época de Quaresma, muitos em toda a Índia, independentemente da casta ou credo, abandonam os prazeres mundanos, como forma de arrependimento. Os três sacrifícios mais populares são a carne, o álcool e sobremesas. Outros vícios que as pessoas sacrificam podem incluir assistir a televisão, festas e até mesmo redes sociais. O dinheiro economizado com esta abstinência é doado a instituições de caridade.
Domingo de Ramos, o último Domingo antes da Páscoa é gasto apanhando folhas de palmeira e decorar a casa com cruzes feitas à mão. Quinta-feira Santa, celebrada como Pesaha Yasashchya no estado de Kerala na Índia, é em memória da Última Ceia. As igrejas mantêm uma cerimónia humilde onde o Cardeal lava os pés de 12 fiéis.

Uma tradição interessante observada pelas famílias no sul da Índia é a encenação da Última Ceia. A festa apresenta pesaha paal (leite de Páscoa), um medley adoçado com açúcar mascavado leitoso e leite de coco e servido com appams indri (funis). Alguns também colocam bananas maduras e outros doces para acrescentar outra camada de sabor. Mas antes de devorar a refeição, a passagem da Última Ceia da Bíblia é lida em voz alta. O chefe da família, em seguida, assume o papel de Jesus e mergulha o appam no prato leitoso e passa-o para todos na mesa. E no caso que não haja o suficiente para todos, pães de cruz quentes são servidos ao redor da mesa. Um banquete por conta própria, ele prepara todos para o dia seguinte.

Sexta-feira Santa

O dia em que Jesus Cristo foi crucificado são cantados hinos, lidas orações e realizadas procissões para o enterro de ídolos em diferentes partes da Índia. Pessoas jejuam o dia inteiro ou só meio-dia. Geralmente é quebrado com uma refeição de carne mais simples que varia de lugar para lugar, mas o arroz é o básico. Os Mangaloreans de Karnataka quebram o jejum com uma khichdi branda (prato de arroz e lentilhas). Alguns Malayalees de Kerala encontram consolo numa refeição de feijão vermelho com curry leve e alguns outros na grama verde cozida, mas todos eles juntam com um mingau de arroz vermelho. Maharasthrians no oeste da Índia alimentam-se com dal, legumes e arroz – uma condição sine qua non, que se estende por toda a região até ao norte. Tamilenses normalmente ficam com a versão sul-indiana de khichdi, localmente conhecida como Pongal, com um pouco de chutney de coco grosso. Alguns devotos levam as coisas mais sérias e aguentam um copo de sumo de abóbora amarga para entender uma fracção da dor que Jesus passou.

Domingo de Páscoa

O último dia da Semana Santa, Domingo de Páscoa é um dia de celebração completa, reunião de família e muita comida. As festividades começam com uma missa à meia-noite de Sábado, seguido de uma preparação durante a noite para a festa do dia seguinte. Diferentes culturas celebram este dia alegre de formas diferentes, mas todos se reúnem em felicidade. Alguns levam pratos especiais para a família, outros levam a família de férias. As crianças têm a sua própria diversão; alguns juntam cascas de ovos e exploram o seu lado criativo pintando padrões intrincados e outros brincam às escondidas pela casa em busca dos ovos de Páscoa cristalizados.

Cortesia da Revista India Perspectives
   


topo
questões ao autor sugerir imprimir pesquisa
 
 
Flor de Lótus
Copyright © 2004-2017, Fundação Maitreya ® Todos os direitos reservados.
Consulte os Termos de Utilização do Spiritus Site ®