Homepage
Spiritus Site
Início A Fundação Contactos Mapa do Site
Introdução
Sagrados
Sugestões de Leitura
Especiais
Agenda
Notícias
Loja
Directório
Pesquisa
Marco Histórico §
Guia de Sânscrito
NEW: English Texts
Religião e Filosofia
Saúde
Literatura Espiritual
Meditação
Arte
Vários temas
Mosteiro Budista
Textos Sagrados são os registos que evocam o divino. Neste espaço eles irão testemunhar a reverência espiritual da humanidade, porque asseguraram e continuarão a assegurar, a herança que dirige o rumo da contínua evolução dos seres. A Sabedoria perene e a força espiritual irradiam através dos tempos, sob a égide de Escrituras Sagradas.


pág. 1 de 1
Māndukya Upaniṣad

de Spiritus Site

em 12 Fev 2007

  A tripla divisão da palavra que o representa, AUM, está em correspondência com os três sopros: o fogo, o ar e o Sol. Eles não são as funções vitais das partes do Cosmos, mas os níveis de Consciência inseridos no Grande Sopro ou respiração de Brahman que é a energia que anima o Cosmos, o Prāṇa.
AUM ou OM representa a Unidade, da qual deriva o Poder do Som, o segredo da Palavra Sagrada ou do Verbo. A repetição deste mantra purifica a energia humana, que está associada à energia Cósmica vital.



Om! Ele mesmo, verdadeiramente imperecível, a sua interpretação é a seguinte: o passado, o presente e o devir. Deste modo, tudo está no Om contido. Porque tudo sendo Brahman, este mesmo Espírito, Ele próprio, está dividido em quatro aspectos.

No primeiro estado, em vigília, o Espírito Supremo quando entre agregado de corpos grosseiros, inconstante, cuja atenção é dirigida para objectos externos, que tem sete membros e dezanove bocas, ai dele! Esse é materialista.

No segundo aspecto – estado de sonho – aquele que conhece o seu ser interior, com sete membros e dezanove bocas, solitário, consistente de Luz.

No terceiro estado, durante o sono profundo, aquele não sujeito ao desejo dos prazeres, não vê sequer o sonho; somente está unificado, vede! Em consciência feita de beatitude.

É Este o Senhor de Tudo; é Este Omnisciente; Ele domina os sentidos internos (a Alma); Este é fonte de tudo, pois é começo e epílogo dos seres.

No quarto estado, nem conhecimento interior ou dirigido para os objectos externos, nem para qualquer conhecimento, seja interior, exterior ou grosseiro. Ele, o Omnisciente, não é para ser visto, definido ou objecto de pensamento. Ele é o inefável, o único Ātman, tranquilidade da mente. Ātman, no qual todas as coisas repousam, que tudo conhece.

Neste estado este mesmo Espírito está no Om, para além da medida e acima de todas as sílabas, esta quarta parte está no pronunciar de AUM.

No primeiro estado – o de vigília –, relativo a toda a humanidade, a pronúncia do A, penetrando todas as palavras, causa a obtenção de todos os desejos e torna-se no verdadeiro e próprio conhecimento.

No estado de sonho, derivado da luz, a segunda letra, o U, muito superior, contendo ambos, a continuidade do conhecimento, torna-se uniforme e o desconhecimento de Brahman não existe na família.

O sábio adormecido profundamente é a terceira letra, ou seja, o M, consistindo da medida, é o terceiro estado no qual a acção de pronunciar a letra M atinge a finalidade.

O quarto estado é o Om; sem limites, indiscutível, liberto da manifestação, no qual todas as coisas estão contidas, verdadeira não dualidade, a própria alma é contida na Alma, que Essa na realidade o Sabe.

Tradução de Dra. Margarida de Lacerda.
   


topo
questões ao autor sugerir imprimir pesquisa
 
 
Flor de Lótus
Copyright © 2004-2017, Fundação Maitreya ® Todos os direitos reservados.
Consulte os Termos de Utilização do Spiritus Site ®