Homepage
Spiritus Site
Início A Fundação Contactos Mapa do Site
Introdução
Sagrados
Sugestões de Leitura
Especiais
Agenda
Notícias
Loja
Directório
Pesquisa
Marco Histórico §
Guia de Sânscrito
NEW: English Texts
Religião e Filosofia
Saúde
Literatura Espiritual
Meditação
Arte
Vários temas
Mosteiro Budista
Em Especiais encontrarão temas que pela sua profundidade, merecem distinção e como tal são jóias preciosas para se guardar religiosamente no coração.

pág. 1 de 3
A Sabedoria de Gandhi

de Mahatma Gandhi

em 30 Jan 2012

  Os preceitos aqui reunidos constituem uma parte da herança espiritual de Mahatma Gandhi. O seu ensinamento inspirado nas fontes mais antigas da Índia mantém o seu poder absolutamente actual. O seu pensamento impregnou-se de grande tolerância para com todas as religiões respeitando todos os seres vivos e, empenhou-se na igualdade de direitos com a máxima da "não-violência" da antiga tradição religiosa Jaina, com a qual se identificava. Através do seu próprio exemplo de renúncia, tornou-se num expoente de vontade e de moral, para além de reformador social que levaram à independência da Índia.

A propósito da cooperação:

“O bem viaja a passo de caracol. Aqueles que querem fazer o bem não são egoístas, não têm pressa, sabem que para impregnar as pessoas com o bem é necessário muito tempo.”

A propósito da não-violência:

“A força da não-violência é infinitamente mais maravilhosa e subtil do que as forças da natureza, tais como a electricidade.
A força gerada pela não-violência é infinitamente superior à força de todas as armas inventadas pela ingenuidade do Homem.

A força dos números faz as delícias do tímido, mas o espírito corajoso regozija-se em lutar sozinho.

A não-violência só será bem-sucedida se se tiver uma verdadeira fé em Deus.
A não-violência implica submissão voluntária ao castigo pela não-cooperação com o mal.

Não sou um visionário. Declaro-me um idealista prático. A religião da não-violência não está apenas pensada para os rishis e para os santos. Também está pensada para as pessoas comuns. A não-violência é a lei da nossa espécie, tal como a violência é a lei dos animais. Nos animais, o espírito mantém-se adormecido e desconhece outra lei que não a da força física. A dignidade do Homem exige obediência a uma lei superior, a da força do espírito.”

A propósito da Fé e de Deus:

Gandhi (§) buscava Deus, não a ortodoxia. As suas orações diárias misturavam venerações tradicionais hindus com cantos budistas, as leituras do Corão (§), um ou dois versos zoroástricos e o hino cristão «Guia-me, doce luz». Esse ecletismo reflectia a sua grande tolerância para com todas as religiões, um dos seus mais sagrados (e menos respeitados) preceitos. «A Verdade», defendi, «é Deus», mas nunca conseguiu convencer disso as seitas religiosas da Índia. Os seus mentores espirituais foram igualmente amplos: Jesus, Buda, Sócrates, a sua mãe (§). (…)
Todos esses credos uniram-se nos dois princípios que governaram a sua vida pública: o que denominou a satyagraha, a força da verdade e do amor, e o antigo ideal hindu do ahimsa, ou a não-violência de todas as coisas vivas.

“A fé é uma função do coração. A razão deve reforçá-la. Não são elementos antagónicos, como alguns pensam. Quanto mais intensa for a fé de uma pessoa, mais estimulará a sua razão. Quando a fé se torna cega, morre.”

“As religiões são caminhos distintos que convergem para o mesmo ponto. Que importância tem que tomemos caminhos diferentes se alcançarmos o mesmo objectivo?”
“”Rezar não é pedir. É uma ânsia da alma. É o reconhecimento diário das nossas debilidades…Na oração é melhor ter um coração sem palavras do que palavras sem coração.”

“A oração é a chave da manhã e o ferrolho da noite.”

“Se nos encarregarmos do dia de hoje, Deus encarregar-se-á do dia de amanhã.”

“A verdade é que Deus é a força. É a essência da vida. É a consciência pura e imaculada. É eterno.”

“Deus responde à oração á sua maneira, não à nossa.”

“Um homem de fé não exige nem negoceia com Deus.”

Só Deus é imortal, imperecível.”

“Deus é a soma de tudo o que vive. Talvez não sejamos Deus, mas somos para Deus o que uma pequena gota é para o oceano.”

Qual é o valor da fé se não se traduz em acção?”

“Acaba o dia com uma oração para teres uma noite tranquila, sem sonhos e pesadelos.”

“Quando admiro a maravilha do pôr-do-Sol ou a beleza da Lua, a minha alma dilata-se e venera o Criador.”

“O homem que se ancora em Deus deixa de temer o homem.”

“A Verdade é o Fim e o Amor é o Caminho. A Verdade é Deus e Deus é a Verdade.”

“Creio em Deus, não só como teoria, mas também como um facto mais real do que a própria vida.”

A propósito da Paz:

“Não quero desenvolver uma irmandade ou identidade apenas com os seres ditos humanos, mas também quero desenvolvê-la com toda a vida, inclusive com os seres que se arrastam pela terra.”

“Acredito que todas as criaturas de Deus têm tanto direito à vida quanto nós.
  (... continua) 
topo
questões ao autor sugerir imprimir pesquisa
 
 
Flor de Lótus
Copyright © 2004-2017, Fundação Maitreya ® Todos os direitos reservados.
Consulte os Termos de Utilização do Spiritus Site ®