Homepage
Spiritus Site
Início A Fundação Contactos Mapa do Site
Introdução
Vários temas
Peregrinações
Agenda
Notícias
Loja
Directório
Pesquisa
Marco Histórico §
Guia de Sânscrito
NEW: English Texts
Religião e Filosofia
Saúde
Literatura Espiritual
Meditação
Arte
Vários temas
Mosteiro Budista
  Ordenar por:  
Artigos 1 - 5 de 24
  [1]  2  3  4  5  [Seguinte]
Peregrinações em São Miguel de Ana Maria Cordeiro
Dei hoje comigo a analisar uma bela foto de uma amiga jornalista que conheço desde pequena. Uma foto muito bela que isolava um conjunto de bordões usados pelos homens da nossa terra para se apoiarem no caminho ao longo da ilha. Agradeci-lhe a memória e lembrei-me do início da Quaresma. Na minha ilha, depois do século XVI e após um grande terramoto, foi prometido pelos homens que, se sobrevivessem às forças da Natureza, dariam a volta à ilha a pé e a rezar o Terço.
Data: 14 Fev 2016
Ler  Ler
Rios indianos não são apenas parte de textos religiosos épicos e mitos são também guardiães da sua riqueza natural. Do início da história registada, a Índia tem honrado seus rios, pela sua beleza e suas bênçãos. Sete desses rios foram apontados para reconhecimento como deuses, não por seus perfis hidrológicos, mas pelas associações culturais e sagradas em seus arredores. Ganga: Símbolo de pureza. Em primeiro lugar na lista está a deusa Ganga (o rio Ganges). Sua nascente na caverna de gelo de Gaumuckh (boca de vaca) em Uttarakhand, Himalaias deve ser o mais inspirador no nosso planeta por pura estética de grandiosidade. Nem mesmo a mitologia cercando o rio pode igualar o sublime impacto do seu nascimento físico. Iniciando o percurso do local de peregrinação de Gangotri, ele flui como rio Bhagirathi. É apenas no seu encontro com o rio Alakananda em Devprayag que o nome Ganga é dado. Em seguida, rio abaixo em Haridwar, o Ganga emerge nas planícies onde o seu curso até ao mar é marcado pela confluência em Prayag Allahabad em Uttar Pradesh.
Data: 05 Ago 2014
Ler  Ler
Um Retiro Real de Christian Belger
Se você está na Índia procurando pelo encontro com descanso e lazer, Gwalior poderia ser seu destino. Situada na fronteira do norte de Madhya Pradesh, a cidade real não apenas apresenta património e arquitectura antiga para os visitantes, mas muitos aspectos da viva cultura indiana. Gwalior está espalhada ao redor de uma colina de rocha de arenito, coroada por uma impressionante fortaleza, que o primeiro imperador mogol, Babur, chamou de “a pérola no colar de fortificações de Hindu”. É constituída por três áreas principais: Lashkar, a parte comercial; Morar, o mercado rural para os agricultores e moradores das vilas circundantes, e antiga Gwalior, onde se encontra a rica história desta cidade tão interessante.
Data: 22 Abr 2014
Ler  Ler
O Império Perdido de Navneet Sandhu
Situada nas margens do rio Tungabhadra, Hampi, a capital do império Vijayanagar (1336-1565 d.C.) é uma tela definida na época passada, misturando contos de bravura, glória e grandeza dos épicos e da história medieval. Cada pedra nas ruínas de Hampi tem uma história para contar sobre a beleza da criação e da destruição nas mãos dos reis Deccan. Hampi é também o Kishkinda mitológico, o reino do Rei Macaco Sugrive e o local de nascimento de Hanuman, do épico Ramayana. Traços do clássico existem em toda a parte, desde o templo construído no topo da colina Anjaneya, onde Hanuman nasceu, até à caverna onde Sugrive se abrigou e a fortaleza que seu irmão Bali havia usurpado, e o padrão magnificamente esculpido na pedra onde o Senhor Rama coroou Vibhishan como rei do Lanka.
Data: 27 Mar 2014
Ler  Ler
Fluxos de Felicidade de India Perspectives
Emergindo como uma gota e continuando sua longa jornada por toda a Índia, os rios são como uma tábua de salvação para multidões. Perspectives da Índia embarca numa viagem com os seis rios mais importantes do país. A longa viagem de 2.600 quilómetros pelo rio Ganges possui muitos riscos e imprevistos. O rio nasce na cidade de Devprayag localizada no distrito Tehri Garhwal em Uttarakhand. É aqui que a união sagrada dos seus dois principais afluentes – os rios Bhagirathi e Alaknanda – acontece. Considerada a principal origem do Ganges, Gangotri é na verdade a fonte para o rio Bhagirathi. O santuário Badrinath representa a origem do seu outro principal afluente Alaknanda. Enquanto o rio Alaknanda corre pelo distrito de Chamoli, ele encontra o rio Mandakini descendo as montanhas Nanda. Com mais de 7.800 metros, Nanda Devi é a segunda montanha mais alta da Índia. Esta jornada continua até à cidade Rudraprayag, onde o calmo rio Mandakini com a sua cor verde resplandecente pode ser visto convergindo nas águas brancas de rápido fluído do Alaknanda.
Data: 23 Abr 2013
Ler  Ler
registos por página
  [1]  2  3  4  5  [Seguinte]
Flor de Lótus
Copyright © 2004-2017, Fundação Maitreya ® Todos os direitos reservados.
Consulte os Termos de Utilização do Spiritus Site ®