Homepage
Spiritus Site
Início A Fundação Contactos Mapa do Site
Bem-vindo
   Missão
   Agenda
   Notícias
   Loja
   Directório
   Pesquisa
   Marco Histórico §
   Guia de Sânscrito
   NEW: English Texts
Religião e Filosofia
Saúde
Literatura Espiritual
Meditação
Arte
Vários temas
Mosteiro Budista
Dificuldades na leitura? Experimente a versão não acentuada.
pág. 1 de 1
Sublimação

de Maria

em 06 Nov 2017

   A Lei da Atracção rege as primeiras etapas do Ser e, embora a vontade esteja por detrás desse processo é a atracção pela sensação e seu reflexo na consciência, que produz o desejo. O desejo não é necessariamente e só sexual, mas implica outras disposições, tais a ambição pelas coisas materiais, posses afectivas, vaidade, excessos alimentares (gula) e bebidas estimulantes.
Com o evoluir da identificação consigo mesmo, o Ser (homem e mulher) desenvolve mais a vontade e o propósito consciente – o desejo é movido pelo instinto – e quando já consegue o domínio do Eu, a mente assume o comando, transformando o desejo em vontade inteligente, dando assim lugar, a uma vontade mais consciente e definida de actuar.


O que se manifesta primeiro, o desejo ou a vontade?

O desejo impulsiona a busca de sensações e o sentimento emocional reflecte esse desejo. Com facilidade o homem faz o que seus desejos ou o instinto lhe sugere e fica a maior parte do tempo da sua vida sob o controlo dos devas do plano astral mais denso, que são os que controlam o homem nos seus desejos mais primários.

Diferentes são os animais que carecem de consciência, não sendo portanto responsáveis. Não possuem memória como a humana, não têm a faculdade de correlacionar, portanto o instinto é a forma primária das sensações e, como a chispa da mente está ausente têm uma inteligência rudimentar. Estão livres de karma.

No ser humano a vontade-desejo é que promove a encarnação (ainda em planos etéricos, antes de nascer), como resposta à sensação que a forma (corpo físico) produz, meio pelo qual, a Vida ou Existência usa para se expressar.

Em certa medida pode-se “controlar” o destino e obter efeitos, que se forem em determinada direcção, como o melhoramento de si mesmo, contribuirá para a independência das formas inferiores, ou as que se expressam pelas formas de desejo ou instintivas. Pode empregar-se melhor as energias sublimadas para determinadas circunstâncias, podendo assim, arquitectar o seu próprio percurso ou destino. Capacita a coordenar as próprias forças físicas, mentais e espirituais elevando as suas energias ao ponto de as expressar a todo o tempo numa dimensão superior de viver. Transmutar o inferior no superior é tarefa de cada um, para que não seja vitima dos impulsos vibratórios da matéria (corpo físico), mas em objectividade inteligente.

Quando o ser humano se “redime” no sentido espiritual sublima os seus ideais e o prazer da vida transfere-se para outra dimensão, onde os valores e qualidades predominam fora do controlo das vibrações mais danosas, pois transmuta-se o ódio em amor, a ira em paciência, o desprezo em compaixão.

A compreensão da verdadeira natureza ou o conhecimento de si, produz uma mudança crucial, pois aprende-se a pensar, a assumir o controlo mental e a desenvolver os poderes latentes. A meditação é o método mais eficaz para assegurar uma via de autodomínio, de sublimação de energias usando os seus próprios recursos.

A força divina ou amor está latente em cada ser humano; a meditação permite “despertá-la”. Amar é cumprir a lei universal sem esforço ou sofrimento.
     


topo
questões ao autor sugerir imprimir pesquisa
 
 
Flor de Lótus
Copyright © 2004-2017, Fundação Maitreya ® Todos os direitos reservados.
Consulte os Termos de Utilização do Spiritus Site ®