Homepage
Spiritus Site
Início A Fundação Contactos Mapa do Site
Introdução
Sagrados
Sugestões de Leitura
Especiais
Agenda
Notícias
Loja
Directório
Pesquisa
Marco Histórico §
Guia de Sânscrito
NEW: English Texts
Religião e Filosofia
Saúde
Literatura Espiritual
Meditação
Arte
Vários temas
Mosteiro Budista
Textos Sagrados são os registos que evocam o divino. Neste espaço eles irão testemunhar a reverência espiritual da humanidade, porque asseguraram e continuarão a assegurar, a herança que dirige o rumo da contínua evolução dos seres. A Sabedoria perene e a força espiritual irradiam através dos tempos, sob a égide de Escrituras Sagradas.


pág. 1 de 2
A Última Ceia

de Filipe Araújo

em 19 Mar 2015

  Leonardo da Vinci começou a trabalhar a pintura “A Última Ceia” no ano de 1495. Esta obra é considerada sua pintura mais ambiciosa e é tão famosa quanto o retrato da Mona Lisa, a mais notável e conhecida obra de Da Vinci. O trabalho pode ser visitado no Convento Santa Maria Delle Grazie, Milão, onde foi concebida em uma parede do refeitório dos monges. Porém, a pintura não pode ser apreciada em sua totalidade. Isso se deve a um equívoco cometido por Leonardo da Vinci na época. Da Vinci, que passou mais de dois anos trabalhando em “A Última Ceia”, decidiu aplicar a técnica da têmpera, que consistia em misturar pigmentos coloridos com gema de ovo. A pintura foi feita em gesso seco e, para a infelicidade dos apreciadores da obra do artista, entrou em estado de deterioração em 20 anos, sendo que no ano de 1560 já estava arruinada.

Pintura "A Última Ceia" 1495 - 1498

Uma história bastante lembrada sobre a produção de “A Última Ceia” é sobre a perplexidade de um prior do convento, que não se conformava em ver Da Vinci (§) parado na frente da obra, observando-a durante tanto tempo. Em resposta às críticas do prior, o pintor afirmou que “os homens de génio às vezes produzem mais quando menos trabalham, pois esta é a hora em que elaboram invenções e formam em suas mentes as ideias perfeitas que depois expressam e reproduzem com as mãos”. Além disso, Leonardo ameaçou basear-se na figura do prior para criar o rosto de Judas. A história em que a obra baseia-se é encontrada no Novo Testamento. “A Última Ceia” ocorreu quando Cristo revelou, em meio a uma refeição, que um dos apóstolos ali presentes iria traí-lo. Na história bíblica, foi Judas Iscariotes o apóstolo a trair Jesus Cristo. Leonardo da Vinci retractou o perfil de Judas inclinado para trás, com o rosto em uma sombra.

Na obra, o olho direito de Jesus é o ponto de fuga para a perspectiva, tendo sua cabeça emoldurada pela janela ao fundo, que apresenta uma paisagem. Afastado de ambos os grupos, é o único que tem um semblante sereno, ao contrário dos 12 apóstolos que o ladeiam.
Uma curiosidade sobre “A Última Ceia” é que o mosteiro no qual se localiza passou por um bombardeiro durante a Segunda Guerra Mundial. A obra, mesmo deteriorada, manteve-se firme após este bombardeio e ainda pode ser apreciada pelos amantes da arte.

***
A última ceia por Leonardo da Vinci – Mistérios e Codificações
de Editorial Ciências Paralelas
Comments are off

A pintura da última ceia talvez seja a mais importante e enigmática obra de Leonardo da Vinci.
Originária do ano de 1498 (ano de sua finalização), foi uma encomenda feita pelo Duque Lodovico Sforza para o convento de Santa Maria delle Grazie, em Milão. Dentre as mais diversas representações desta passagem, relatada em João 13:21, esta com certeza é a mais conhecida.

Tal representação é citada em quatro evangelhos canónicos, em Mateus 26:17-30, Marcos 14:12-26, Lucas 22:7-39 e João 13:21 até João 17:26 e Coríntios 11:23-26.
A obra indica a última ceia feita entre Jesus e seus apóstolos, aonde, na ocasião, teria revelado que seria traído por um dos discípulos ali presentes.

No entanto, o que poucos sabem é que essa representação esconde uma série de mistérios e codificações um tanto quanto curiosas e outras até bem estranhas.
Vale ressaltar que Da Vinci foi Grão Mestre do Priorado de Sião, uma sociedade secreta detentora de vários conhecimentos herméticos, cabalísticos e ocultos. Além disso, alguns teóricos afirmam a ligação directa de Da Vinci com a Maçonaria.
Ressalta-se que todas essas sociedades secretas são dotadas de conhecimentos ocultados do senso comum nos mais altos níveis e as escondem e preservam durante os séculos.
Iremos analisar objectivamente uma série destas codificações, algumas evidentes e outras subliminares. Vale lembrar que trata-se de um apanhado captado por pequenos pesquisadores e curiosos reforçada e enriquecida com outras evidências analisadas através de conhecimentos das

Ciências Paralelas.

Primeiramente vejamos logo abaixo a pintura original da Santa Ceia.
Observe que ao centro temos a figura de Jesus.
Na sequência ilustrada abaixo, observamos cada apóstolo nomeado na ordem da esquerda para a direita conforme a divisão dos dois quadrantes.
Quadrante esquerdo
Quadrante direito

Obs: Judas Iscariotis no quadrante esquerdo e Judas Tadeu no quadrante direito
***
O simbolismo que a obra nos transmite é muito profundo, pois da Vinci possuía um profundo conhecimento dos arquétipos e detinha amplo conhecimento astrológico. Nessa obra ele demonstra perfeitamente o zodíaco, com os 12 signos, tendo o Sol (Cristo) como o centro dos acontecimentos e da criação.

Se separarmos os apóstolos em quatro grupo de três , teremos representadas as quatro estações do ano.
  (... continua) 
topo
questões ao autor sugerir imprimir pesquisa
 
 
Flor de Lótus
Copyright © 2004-2017, Fundação Maitreya ® Todos os direitos reservados.
Consulte os Termos de Utilização do Spiritus Site ®