Homepage
Spiritus Site
Início A Fundação Contactos Mapa do Site
Bem-vindo
   Missão
   Agenda
   Notícias
   Loja
   Directório
   Pesquisa
   Marco Histórico §
   Guia de Sânscrito
   NEW: English Texts
Religião e Filosofia
Saúde
Literatura Espiritual
Meditação
Arte
Vários temas
Mosteiro Budista
Dificuldades na leitura? Experimente a versão não acentuada.
pág. 1 de 1
Tav - a estrela da verdade

de Maria João Firme

em 11 Fev 2015

   Tav poderá vir a encontrá-lo, esteja preparado. Quando, aninhado no seu manto turquesa, se sentir elevar e irradiar até um vibrante azul noturno, é chegado o momento. Está na hora de percorrer o caminho, a direção que o seu ser já tinha pressentido como correta. Lembre-se, no entanto, que essa decisão terá que ser sua, pois tem livre-arbítrio. Não receie ser abandonado qualquer que seja a sua escolha pois, ao fechar os olhos, sentirá sempre o esvoaçar do véu de Tav. Tav, originária dos mistérios da noite e da lua, materializou-se na última letra do alfabeto hebraico, com um valor numérico de 400.

Pode também surgir-lhe em forma de brisa de asas azuis, ou simplesmente como uma carta, chegada num qualquer momento do seu percurso.

Tav pergunta-lhe: “Então, bem amado, que queres tu verdadeiramente? Que lugar dás tu à tua busca espiritual nesta vida?”*

Questiona-o sobre se está determinado a mudar, se quer entregar finalmente as rédeas à sua alma de luz. Pergunta-lhe se está pronto a celebrar o compromisso de não mais mentir aos outros e, sobretudo, a si próprio!... Incita-o a não ser marioneta do seu inconsciente, dos seus medos ou das suas memórias negativas.

Diz-lhe por outro lado que, como qualquer inteligência de luz, respeitará sempre a sua resposta a essa pergunta, pois é exactamente neste ponto que reside o verdadeiro acto de amor: aceitar, de igual forma, qualquer que seja a sua escolha. Sendo assim, Tav diz-lhe também para se sentir livre, sabendo que isso não é assim tão simples. E acrescenta:

“Tu marcaste encontro com algumas provações das quais trazes as cicatrizes, mas também com as ajudas necessárias para triunfar. E Eu, Tav, Eu sou hoje a mão de Deus estendida para ti, para te ajudar a libertar.”*

Tav desafia-o escutar o que lhe dita o amor, o melhor presente que pode oferecer a si próprio. Se tem vontade de responder “sim” a este apelo, mas ao mesmo tempo duvida da sua capacidade de se comprometer neste sentido, Tav incita-o então a confiar na alma de luz que vive em si, assegurando-o de que ela aspira à verdade e à lucidez. Deverá chamar Tav, sem medos, e compreenderá, por fim, a causa do que fez sofrer a sua alma.

Tav é poderosa no seu processo de cura mas exigente, impelindo a sua consciência a mudar. Pede-lhe clareza e esclarecimento de uma situação actual da sua vida, dizendo-lhe que deve olhar para ela de outra forma. Convida-o a pôr-se em causa, a oferecer ao divino as suas crenças e tudo aquilo que o limita. Esclarece-o de que a sua alma deve “morrer para o antigo”, pois só assim será impulsionada para a liberdade e esplendor de luz que aceitou velar, quando escolheu encarnar sobre a terra.

Diz-lhe que ouse procurar a verdade, sabendo que apenas a encontra num local despojado de todos os artifícios - o seu íntimo. E aí, quando tiver olhado para todas as dores e respeitado todas as cicatrizes que mapeiam o seu ser, quando tiver enfim retirado todos os enganos e inverdades que contou a si próprio, uma chama brilhará e trará consigo uma visão clara. Tav é a estrela da verdade e diz-lhe que, chegado a esse ponto, ninguém nem quaisquer circunstâncias poderão condicionar a sua chama, pois ela arde já, em total liberdade...

*Elia, Marie, Rencontre avec la splendeur, Ed. Altess
Nota

TAU (TAW) /TAV

TAU, pronunciado Taf é a última letra do alfabeto hebraico e a décima-nona do alfabeto grego. TAV corresponde à pronúncia e, por extensão à grafia, utilizadas no hebraico moderno.
Tav representa a verdade, que está entre o princípio e o fim. A sua representação mais moderna é semelhante ao “T” mas a representação hebraica prolonga –a com outro traço vertical (semelhante a π ). No alfabeto hebraico corresponde ao número 400 e no alfabeto grego ao número 300.
Para além de aparecer em referências bíblicas, foi um sinal com que S. Francisco marcou pessoas e objetos, no sentido de os abençoar ou deixar a sua marca particular. Quanto à marca nas pessoas, era feita naqueles que estavam em grande sofrimento com as injustiças feitas no mundo.
Terá também sido o sinal com que foram marcados os 144.000 seres/almas (origem cabalística?...)
     


topo
questões ao autor sugerir imprimir pesquisa
 
 
Flor de Lótus
Copyright © 2004-2017, Fundação Maitreya ® Todos os direitos reservados.
Consulte os Termos de Utilização do Spiritus Site ®