Homepage
Spiritus Site
Início A Fundação Contactos Mapa do Site
Bem-vindo
   Missão
   Agenda
   Notícias
   Loja
   Directório
   Pesquisa
   Marco Histórico §
   Guia de Sânscrito
   NEW: English Texts
Religião e Filosofia
Saúde
Literatura Espiritual
Meditação
Arte
Vários temas
Mosteiro Budista
Dificuldades na leitura? Experimente a versão não acentuada.
pág. 1 de 2
A Árvore de Natal Cabalística

de Lubélia Travassos

em 11 Dez 2007

   Desde tempos remotos que a humanidade presta culto aos deuses, visto o homem ter sentido sempre necessidade de antropomorfizar as coisas para ter uma referência sobre si mesmo. Por isso, as Religiões primitivas surgiram do culto a recursos que pudessem saciar as necessidades físicas e básicas do ser humano. Desta forma, era costume fazerem culto às plantas, às árvores, às montanhas, ao mar, à chuva, etc. Daí surgiu o culto ao trigo com que os Judeus faziam o pão ázimo, depois a hóstia, no Cristianismo.

Os Cristãos também fizeram o culto à parreira e ao vinho, que é utilizado pelos sacerdotes cristãos até hoje. Este culto antigo era quase praticamente dedicado à Mãe Natureza, a partir do qual os ciclos das estações do ano, necessários à agricultura, tiveram origem e estão ligados aos pontos de intersecção da eclíptica em que o Sol passa pelo equador, isto é, os equinócios e os solstícios. Estas quatro datas do ano marcam festas comemorativas espirituais conhecidas por Sabás.
As origens da Festa do Natal são muito anteriores ao nascimento de Jesus Cristo, de acordo com estudos esotéricos, pelo que os investigadores desta área a consideram como fazendo parte de uma altura cheia de magia. Os Sabás comemoravam o tempo de renascimento do Sol na mesma época do Natal. Curiosamente, na tradição dos Druidas encontramos a Árvore de Natal, as luzes, os ornamentos nas portas e até o próprio Pai Natal. A tradição das Festas religiosas vem de quase todo o Hemisfério Norte, e ainda que a simbologia natalícia provenha quase totalmente do paganismo, tal como da religião dos Druidas, encontramos também símbolos cabalísticos da tradição Judaica.

A árvore de Natal, de acordo com os gnósticos tem um profundo significado esotérico, e está relacionada com todas as tradições Alquímicas, Cabalisticas e Cósmicas de todas as tradições. Todos os presentes, ornamentos, cores, etc., têm da mesma forma um significado profundo e muito simbólico. Ademais, de acordo com interpretações místicas do Xamanismo, as luzes e os ornamentos da Árvore de Natal representam também as almas dos que já partiram e que são lembrados no final do ano.
Em algumas regiões da Europa a Árvore de Natal é conhecida pela “Árvore de Cristo”, pois desempenha um papel importante na data de nascimento de Jesus Cristo. Os registos mais antigos sobre a Árvore de Natal datam de meados do Século XVII, provenientes da província Francesa da Alsácia. A Árvore de Natal é um símbolo marcante que representa o agradecimento pela vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo. Os Cristãos da antiga Europa começaram a ornamentar as suas casas com pinheiros no dia de Natal, que era a única árvore que permanecia verde na imensidão da neve, por seguirem as descrições sobre o florescimento de árvores no dia do nascimento de Jesus.

A tão popular Árvore de Natal representa esotericamente o Diagrama Cabalístico da Vida, denominado Árvore Cabalística ou Árvore Sefirótica. Vemos representado nesse Diagrama toda a vida e todas as dez dimensões do Universo, possuindo esta Árvore dez galhos, que vão desde “Kether”, o Pai todo Perfeito, até “Malkuth”, o mundo físico.
Por conseguinte, ao montarmos a Árvore de Natal, deveríamos compô-la de acordo com a tradição, criando-a de maneira a carregar o ambiente onde ela se encontra, com vibrações bastante positivas.

Vejamos como se deverá montar uma Árvore de Natal gnóstica: O tipo de árvore seria de preferência um pequeno pinheiro, uma vez que esta árvore representa a energia luminosa da Era de Aquário, visto ser o seu símbolo. Sugere-se que seja colocada no centro da sala ou na parte leste onde o Sol nasce. Caso não haja esta possibilidade podemos colocá-la em qualquer lugar próprio. Deveremos enfeitá-la de cima para baixo, respeitando as forças descendentes do Espírito Divino, que vêm para nos abençoar no nosso plano físico. No topo da árvore fixar uma estrela dourada, pois ela representa a nossa Estrela Interior, que anseia orientar-nos na peregrinação da vida. É o nosso Espírito Divino que necessita nascer na nossa Consciência, sendo que o topo da nossa Alma é a Consciência. Contudo, nunca se deve colocar a estrela com a ponta na cabeça. Os ornamentos significam alegoricamente as virtudes e as forças espirituais que devem triunfar dentro das nossas Almas, sendo que dentro de casa está a Árvore de Natal. Os principais ornamentos símbolos deverão ser: Três Sinos pequenos, que representam a Santíssima Trindade, as Três Forças Primárias do Cosmos.
   (... continua)  
topo
questões ao autor sugerir imprimir pesquisa
 
 
Flor de Lótus
Copyright © 2004-2017, Fundação Maitreya ® Todos os direitos reservados.
Consulte os Termos de Utilização do Spiritus Site ®