Homepage
Spiritus Site
Início A Fundação Contactos Mapa do Site
Bem-vindo
   Missão
   Agenda
   Notícias
   Loja
   Directório
   Pesquisa
   Marco Histórico §
   Guia de Sânscrito
   NEW: English Texts
Religião e Filosofia
Saúde
Literatura Espiritual
Meditação
Arte
Vários temas
Mosteiro Budista
Dificuldades na leitura? Experimente a versão não acentuada.
pág. 1 de 1
A Unidade

de Maria

em 11 Dez 2014

   Se existe uma força que congrega os seres humanos num objectivo comum para se harmonizarem num ideal é sem dúvida a religião. Seja ela qual for, desde a cristã, à budista, à islâmica, a religião tem a força da união. Os budistas reúnem-se religiosamente no Vesak, a festa que celebra o nascimento, a iluminação e a morte do Buddha. Os muçulmanos numa grande peregrinação religiosa dirigem-se a Meca para homenagear o profeta Maomé e, os cristãos de todo o mundo unem-se em pensamento, portanto em fé, para comemorar o nascimento de Cristo.

Este íman universal está vinculado à intuição de cada ser, numa memória interna e eterna duma fonte ou ponto comum a que todos pertencem, sendo este uníssono que conduz a uma certa e elevada harmonização. Até aqueles que dizem não ter identificação com qualquer religião, sentem-se atraídos por estas forças da união dos que, com fé e devoção, o fazem para homenagear aqueles que deram à humanidade algum exemplo mais nobre.

É assim, que actualmente o Natal é comemorado em todo o mundo, quer seja por cristãos ou não, porque o poder da união gera a força da atracção. Esta consonância de pensamento repercute-se na Consciência de cada ser estabelecendo imperceptivelmente uma aspiração para a ascensão, ou seja, cria um impulso na corrente devocional expressa pela evocação religiosa. Bela é a força da união quando o motivo é a comunhão no bem, na paz e no amor incondicional, tanto entre os seres, como no Divino.

Quando o ser humano tiver mais consciência da sua própria luz, poderá, então, acender os seus fogos internos e conseguirá impelir as forças ígneas para o espaço afirmando a hora da unidade - em qualquer ocasião - e não apenas nos eventos religiosos mundiais.

O mundo oscila no eterno ritmo do bem e do mal, na sementeira e na colheita, mas quando cada um acerta o passo pela harmonização interna, então entra na corrente da cooperação reunindo essas forças na Unidade ou Princípio Superior.

Que o Natal possa ser ainda comemorado por milénios, pois por enquanto e, pelo menos uma vez por ano, faz sentir a força da harmonia, poder que combate silenciosamente, a violência, o sofrimento e a injustiça. Que este Natal, de facto, sirva como ponto de irradiação para a consciência da fraternidade universal como um íman atraindo as Almas ao eterno poder da Unidade.
Feliz Natal!
     


topo
questões ao autor sugerir imprimir pesquisa
 
 
Flor de Lótus
Copyright © 2004-2017, Fundação Maitreya ® Todos os direitos reservados.
Consulte os Termos de Utilização do Spiritus Site ®